Home / Destaques / Comissão de Direitos do Cidadão decide em reunião abrir sindicância para apurar suposta agressão de guardas municipais ao vereador Toinho Carolino

Comissão de Direitos do Cidadão decide em reunião abrir sindicância para apurar suposta agressão de guardas municipais ao vereador Toinho Carolino

Crédito: Rafael Santana/TV Servidor

A Comissão de Direitos do Cidadão realizou uma reunião na tarde desta terça-feira (15) para discutir a suposta agressão cometida por profissionais da Guarda Civil Metropolitana (GCM) contra o vereador Toinho Carolino (Podemos) ao defender um trabalhador da limpeza. A comissão  decidiu abrir uma sindicância por meio de requerimento aprovado pela maioria dos integrantes do colegiado.

O relato da suposta agressão foi pauta da reunião do colegiado na presença do secretário de Ordem Pública (Semop), Marcus Passos; o inspetor-geral da GM, João Neto; o diretor de Operações da Semop, Maurício Moreira; o diretor-geral do Sindicato dos Servidores da Prefeitura do Salvador (Sindseps), o guarda municipal Bruno Carianha; e o também sindicalista e agente da GM Sérgio Saturnino.

O presidente da comissão, vereador Alexandre Aleluia (DEM), informou que convidou os diretores e coordenadores da Guarda Municipal para prestar esclarecimentos durante a reunião do colegiado sobre a suposta agressão contra o vereador Toinho Carolino e considerou inadmissível a violência cometida pelos guardas.

Conforme Aleluia, a comissão decidiu através de requerimento abrir uma sindicância dos guardas envolvidos para apurar e esclarecer o fato ocorrido, aprovado pela maioria dos vereadores integrantes do colegiado.

“Uma reunião boa. Eu acho que essa reunião de hoje foi um passo para dirimir qualquer confusão e desentendimento para que haja transparência. A Comissão fez um requerimento para que a Guarda Municipal, na figura de Maurício Lima, abra um processo de sindicância dos guardas envolvidos nesse caso do vereador Toinho. Eu acho que esse é o caminho, transparência e punir quem deve ser punido e assim fortalecer a Guarda Municipal”, informa Aleluia.

Na oportunidade, o vereador Toinho Carolino negou que tenha desacatado os profissionais da Guarda Municipal, ao alegar que questionou a abordagem dos guardas envolvidos a um gari que já estava imobilizado. Além de ter sido supostamente agredido, inclusive depois de se identificar como vereador, Carolino teve o celular retido por mais de 30 minutos e foi conduzido, detido, à Central de Flagrantes.

Durante a reunião, o secretário de Ordem Pública (Semop), Marcus Passos, defendeu também a sindicância para apurar o fato e pediu desculpas ao vereador Carolino. “Peço desculpas pessoalmente a Toinho Carolino, que independente de ser vereador, temos que respeitar o cidadão. Não posso julgar a Guarda, mas não vamos acobertar os erros específicos de toda situação que ocorreu e que gerou esse fato”, garante Passos

O diretor da Semop/GCM ressalta a atuação da Guarda de forma sistemática, contínua e permanente, mas defende a apuração do fato específico. “Toda apuração devida será feita. Se tem um setor da guarda municipal que funciona é a nossa Corregedoria”, garante Maurício Moreira.

O inspetor-geral da GM, João Neto, esteve também durante a reunião na Câmara onde reforçou sobre a necessidade de uma sindicância para apurar o fato e a possibilidade de punição através de advertência ou suspensão aos guardas envolvidos. “Um guarda municipal não pode alegar que está despreparado. Lamento a situação que ocorreu. Nós queremos transparência e que a sindicância possa apurar e esclarecer o fato”, disse o inspetor da GM.

Rafael Santana


CONTEÚDO ALTERNATIVO CASO O VISITANTE NÃO TENHA O PLUGIN DE FLASH EM SEU COMPUTADOR (ESTE CONTEÚDO PODE APARECER TAMBÉM ENVOLVIDO POR UMA "DIV")


Sobre Rafael Santana

Rafael Bonfim Santana é jornalista com experiência em diversos sites e jornais da Bahia

Veja Tambem

STJ decide manter condenação de Jair Bolsonaro por declarar que ‘não estupraria’ Maria do Rosário

A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça manteve a condenação do deputado Jair Bolsonaro ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.