Home / Polícia / Júri popular decide destino da médica Kátia Vargas a partir desta terça

Júri popular decide destino da médica Kátia Vargas a partir desta terça

Acusada pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) de ter cometido homicídio triplamente qualificado, a médica Kátia Vargas, de 49 anos, vai a julgamento nesta terça-feira (5). Por estar sob liberdade provisória, a ré tem a prerrogativa de não comparecer ao Fórum Ruy Barbosa, no bairro de Nazaré, em Salvador.

A informação foi divulgada pela juíza Gelzi Maria de Souza, que presidirá a sessão, durante reunião com a imprensa ocorrida na semana passada.

 

Ainda de acordo com a magistrada, em caso de condenação, a médica não seria presa após o veredito, nem o processo findado em hipótese de absolvição.

“De acordo com a lei, ela só poderia ser presa depois de o processo ter transitado em julgado, ou seja, quando estiverem esgotados todos os recursos. Tanto a defesa quanto a acusação podem recorrer até a última instância: o Supremo Tribunal Federal”, disse.

A expectativa é de ocupação dos 432 assentos disponíveis no Salão do Júri para o julgamento de Vargas, que responde pela morte dos irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes Dias, 21 e 23 anos, em outubro de 2013.

Na última sexta, 1º, o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) disponibilizou 220 senhas para o público geral assistir ao julgamento.

A procura por um lugar no salão gerou uma fila que dobrava o quarteirão, desde a rua lateral ao fórum até a rua da Independência.

Rito

A sessão desta terça começará com o sorteio de sete dos 15 jurados escolhidos para o julgamento de Vargas, quando será formado o conselho de sentença.

Logo após o juramento, os jurados ficarão incomunicáveis, sem poder manifestar opinião a respeito do processo.

O primeiro dia de sessão será marcado pela instrução, quando serão ouvidas as dez testemunhas do caso (cinco para cada lado). É previsto, também, que a ré seja interrogada, caso ela compareça ao tribunal. Passada essa etapa, será iniciado o debate entre a defesa e a acusação.

Primeiro, a fala cabe ao Ministério Público da Bahia (MP-BA), além do assistente de acusação, que terão 90 minutos para expor as argumentações. Na sequência, será a vez de a defesa de Vargas se pronunciar por igual período.

Caso o MP-BA, representado pelos promotores de justiça Luciano Assis e Davi Gallo, considere necessária a réplica, a acusação terá mais uma hora para fazê-la. Do mesmo modo, a defesa terá direito ao uso da tréplica pelo mesmo tempo.

A juíza presidente da sessão estimou que o resultado do julgamento poderá ser definido em até dois dias.

Caso isso aconteça, os jurados deverão ser levados para um hotel, onde permanecerão incomunicáveis, sem acesso a internet e televisão, sob vigilância de um oficial de justiça.

Entenda o caso

Kátia Vargas é acusada de causar a morte dos irmãos Emanuel e Emanuelle Dias em um acidente de trânsito, em outubro de 2013, no bairro de Ondina.

De acordo com a denúncia, ela teria perseguido os irmãos após uma discussão. Em seguida, a médica teria colidido o carro na moto pilotada com Emanuel, que provocou a queda dos dois, que morreram após bater em um poste.

Fonte: A TARDE On Line

 


CONTEÚDO ALTERNATIVO CASO O VISITANTE NÃO TENHA O PLUGIN DE FLASH EM SEU COMPUTADOR (ESTE CONTEÚDO PODE APARECER TAMBÉM ENVOLVIDO POR UMA "DIV")


Sobre Rafael Santana

Rafael Bonfim Santana é jornalista com experiência em diversos sites e jornais da Bahia

Veja Tambem

Agentes da Guarda Municipal recuperam veículo roubado

A Guarda Civil Municipal (GCM) recuperou, na manhã desta quarta-feira (29), um veículo modelo Uno ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.