Home / Destaques / Revista impede entrada de itens proibidos no Festival da Virada

Revista impede entrada de itens proibidos no Festival da Virada

Quem chega ao Festival Virada Salvador 2018, na Orla da Boca do Rio, nesta quinta-feira (28), passa, obrigatoriamente, por uma revista que impede que armas e itens proibidos entrem no espaço da festa. É vetada a entrada de materiais perfurocortantes e que possam servir como arma branca, a exemplo de guarda-chuvas, pau de selfie e demais objetos que possam oferecer risco aos cidadãos.

Assim como nas edições anteriores do Réveillon, são aplicadas revistas com detectores de metais por policiais militares nos três portais de abordagem do circuito (dois atrás do antigo Aeroclube e um no estacionamento), no intuito de garantir maior fiscalização e controle do que entra e sai no perímetro.A Guarda Civil Municipal (GCM) participa da festa com o efetivo de 510 agentes por dia, prestando apoio a diversos órgãos do município na proteção ao patrimônio público, atividades de fiscalização, além de ordenamento e patrulhamento preventivo. A ideia é assegurar a tranquilidade e conforto a baianos e turistas.

Além disso, a Guarda realiza ações de prevenção à violência com a distribuição de folders e pulseiras de identificação de crianças. No caso dos ambulantes, é proibida a comercialização de bebidas em recipientes de vidro ou comércio de churrasquinhos em espetos de madeira, também considerados itens perigosos em situações de aglomeração de pessoas.

Polícias – O circuito do Festival Virada Salvador conta com a participação de mais de 3 mil policiais e bombeiros militares. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública estadual, os espaços interno e externo da arena da festa serão monitoradas em tempo real pelo Centro de Operações e Inteligência. Quinze câmeras extras, dentre elas uma com alcance panorâmico, foram instaladas na região para auxiliar nas atividades policiais realizadas e para contribuir na identificação de suspeitos ou possíveis tumultos. A PM ainda conta com auxílio da Plataforma de Observação Elevada (POE) – veículo de grande porte que possui câmeras acopladas e monitores que permitem o acompanhamento de imagens provenientes de outras câmeras fixas.

No circuito do Festival também foram montados uma Central de Flagrantes, cujo objetivo é facilitar a formalização de ocorrências do tipo, permitindo rápida mobilização para as audiências de custódia, e 13 Postos Elevados de Observação, que auxiliam os PMs no controle da multidão.

A Polícia Civil, através da 9ª Delegacia Territorial (Boca do Rio), da 16ª DT (Pituba) e 12ª DT (Itapuã), ampliou o quadro funcional para agilizar o atendimento das possíveis demandas ocorridas durante a festa. Já o Corpo de Bombeiros conta com efetivo de 420 agentes na prevenção e combate a incêndios, salvamento aquático e atendimento pré-hospitalar.


CONTEÚDO ALTERNATIVO CASO O VISITANTE NÃO TENHA O PLUGIN DE FLASH EM SEU COMPUTADOR (ESTE CONTEÚDO PODE APARECER TAMBÉM ENVOLVIDO POR UMA "DIV")


Sobre Mathias Jaimes

Mathias Ariel Jaimes é CEO da TV Servidor / Axé Notícias. Formado em publicidade. Estou artes plásticas na Universidade Federal da Bahia. MBA em marketing e publicidade estratégica na Uninassau

Veja Tambem

Prefeitura realiza obra de pavimentação para inaugurar Casa do Carnaval

Em paralelo às obras de implantação da Casa no Carnaval, que vai servir de referência ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.