Home / Política / Candidatos à presidência da Assembleia Legislativa disputam votos dos deputados do governo e oposição

Candidatos à presidência da Assembleia Legislativa disputam votos dos deputados do governo e oposição

No plenário que marcou a sessão de votação do Orçamento de 2017 e a liberação de empréstimo junto ao Banco do Brasil no valor de R$ 600 milhões para o Estado, os deputados que pleiteiam à presidência da Assembleia Legislativa aproveitaram o quórum para conseguir votos durante a última sessão deliberativa do ano na Casa para disputar o comando do Legislativo Estadual.

O atual presidente da Casa, deputado Marcelo Nilo (PSL), que busca um sexto mandato à frente do legislativo para consolidar sua hegemonia no comando do parlamento estadual esteve com os deputados de oposição em seu gabinete para conquistar apoio.

Já o seu principal adversário, deputado Ângelo Coronel (PSD), não poupou o discurso provocativo na tribuna do Plenário. Como terceiro candidato que disputa à vaga, o deputado Luiz Augusto (PP) defende que é necessário renovar o comando do legislativo.

Alfinetadas – Ângelo Coronel, amigo pessoal de Marcelo Nilo, leu da tribuna do Plenário um discurso de duas páginas no qual provoca a gestão atual de forma indireta. Trechos como “Vamos ter que compartilhar funções…nada de decisões monocráticas”, ou ainda, “A palavra é descentralização” e “fica aqui meu compromisso de acabar com a reeleição” atingem diretamente o presidente da Assembleia, visto por alguns pares como centralizador.

Evocando o filósofo francês Voltaire, Coronel disse: “Não concordo com uma palavra do que dizes, mas defenderei até a morte vosso direito de dizê-las”.

sexto mandato à frente da Casa reuniu-se com os deputados de oposição em seu gabinete em busca de apoio, o seu principal adversário, Ângelo Coronel (PSD) leu discurso provocativo da tribuna do Plenário. O terceiro postulante à vaga, Luiz Agusto (PP) continua mantendo a ideia de que é preciso oxigenas a chefia do Parlamento estadual.

Na tribuna do Plenário, Coronel fez um discurso de duas páginas no qual provoca a gestão atual de forma indireta. Trechos como “Vamos ter que compartilhar funções…nada de decisões monocráticas”, ou ainda, “A palavra é descentralização” e “fica aqui meu compromisso de acabar com a reeleição” atingem diretamente o presidente da Assembleia, visto por alguns pares como centralizador.

Ainda em seu discurso, Coronel citou o filósofo francês Voltaire: “Não concordo com uma palavra do que dizes, mas defenderei até a morte vosso direito de dizê-las”.

A oposição contabiliza 21 votos e terá peso para qualquer um dos três postulantes que compõem a base do governador Rui Costa (PT). Os deputados oposicionistas preparam um documento com uma série de reinvindicações para entregarem aos candidatos ao comando do legislativo em janeiro.

Foto:

 


CONTEÚDO ALTERNATIVO CASO O VISITANTE NÃO TENHA O PLUGIN DE FLASH EM SEU COMPUTADOR (ESTE CONTEÚDO PODE APARECER TAMBÉM ENVOLVIDO POR UMA "DIV")


About Rafael Santana

Rafael Bonfim Santana é jornalista com experiência em diversos sites e jornais da Bahia com foco em pautas políticas regionais

Check Also

TV. Alexandre Aleluia: “esquerdista não acredita nem gosta de Deus. Esquerdista ajoelha-se somente ao Partido”

Um dos expoentes do conservadorismo na Bahia, o vereador bolsonarista Alexandre Aleluia analisou o clima ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.