Home / Destaques / Empresas brasileiras investiram mais de US$ 85,5 bi em projetos de redução de CO2 nos últimos 3 anos

Empresas brasileiras investiram mais de US$ 85,5 bi em projetos de redução de CO2 nos últimos 3 anos

Arquivo/Agência Brasil

Nos últimos três anos, as empresas em atuação no Brasil implantaram 1.340 projetos de redução de emissões de gases de efeito estufa, totalizando um investimento de mais de US$ 85,8 bilhões que resultaram em 217,9 milhões de tCO2 evitados nesse período. Esses dados ganharam destaque no Painel de Ação Climática, evento paralelo da Semana do Clima América Latina e Caribe, uma iniciativa da ONU, que acontece esta semana em Salvador (BA). O painel foi realizado nesta terça-feira (20) pelo CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável), em parceria com a Neoenergia e suas concessionárias da região Nordeste: Celpe Coelba, Cosan e Elektro, por meio do Programa de Eficiência Energética da Aneel.

A diretora técnica do CEBDS, Ana Carolina Szklo, reforçou que as iniciativas para redução de emissões e adaptação às mudanças climáticas já são realidades nos grandes grupos em atuação no Brasil. Segundo ela, o risco climático já é um fator considerado, inclusive, para tomada de decisão de investimentos. “A ação climática tem impulsionado projetos de inovação, competitividade, gerenciamento de riscos e crescimento das empresas, ao mesmo tempo em que proporcionam as reduções de emissões necessárias para mitigar as mudanças climáticas e contribuir com o Acordo de Paris”, disse Ana Carolina, que moderou o painel.

“88% da nossa energia é limpa, um número superior à média nacional. Nossa política de mudanças climáticas está alinhada ao ODS 13 (Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos)”, disse Solange Ribeiro, diretora presidente adjunta da Neoenergia. No painel, a executiva fez uma defesa enfática da adoção do mercado de carbono no Brasil. “O mercado de carbono é muito importante para ser regulamentado. Não é mais opcional, faz parte do core business e da sustentabilidade do negócio no longo prazo”, afirmou.

A superintendente de Relações Institucionais, Sustentabilidade e Negócios Inclusivos do Itaú Unibanco, Luciana Nicola, destacou que a instituição tem metas públicas de redução de emissões de gases de efeito estufa (GEE) e publica editais para compensar CO2. Luciana ainda destacou que a Bike Itaú é um dos projetos do banco para contribuir com redução de emissões e conscientização. “Se todas as cidades usassem todo potencial de deslocamento por bicicletas, teríamos uma redução de 18% de CO2 nos centros urbanos”, disse Luciana.

A executiva do Itaú Unibanco destacou ainda a Task Force on Climate-related Financial Disclosures (TCFD), iniciativa composta por investidores de diversos setores para classificar e mensurar os riscos climáticos. “Temos um grupo na Febraban (Federação Brasileira de Bancos) para criar um padrão para TCFD. O que a gente percebe é que existem diferenças de setor para setor. Quais são mais sensíveis às mudanças climáticas e como devemos olhar para eles?”, perguntou Luciana. A maioria das empresas brasileiras já vem se antecipando à identificação de riscos ocultos em suas operações, com 57% delas utilizando políticas de precificação interna de carbono.

As empresas do setor de cimentos têm compromisso para redução de emissões de CO2 no Brasil. “Já em 1999 começamos a discutir um compromisso para redução de CO2. E agora temos um roadmap do setor de cimentos nacional para tornar o setor ainda mais eficiente”, informou Álvaro Lorenz, diretor técnico global da Votorantim Cimentos. Segundo ele, no Brasil, o setor de cimento representa 2,6% das emissões de GEE, bem abaixo da média global. Estamos em uma posição de vanguarda nesse tema”, afirmou o executivo da Votorantim Cimentos, no evento paralelo da Semana do Clima. Esse é um dos eventos regionais da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) que antecedem a COP-25, que será realizada em dezembro, em Santiago, no Chile.

Apoio à precificação de carbono – Itaú, Natura e Lojas Renner aderiram, nesta terça-feira (20), em Salvador, à carta aberta do CEBDS que defende a Precificação de Carbono no Brasil. Com isso, o documento passa a contar com o apoio total de 31 CEO`s e CFO’s de grandes empresas e organizações para o estabelecimento de um mecanismo de precificação adequado às características da economia e ao perfil de emissões de GEE do país. Dessa forma, a organização pretende incentivar investimentos, garantir a competitividade das empresas e estimular a inovação tecnológica de baixa emissão no Brasil.

Sobre o CEBDS – O Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) é uma associação civil sem fins lucrativos que promove o desenvolvimento sustentável nas empresas que atuam no Brasil, por meio da articulação junto aos governos e a sociedade civil, além de divulgar os conceitos e práticas mais atuais do tema. A instituição foi fundada em 1997 por um grupo de grandes empresários brasileiros atento às mudanças e oportunidades que a sustentabilidade trazia, principalmente a partir da Rio 92. Hoje reúne cerca de 60 dos maiores grupos empresarias do país, com faturamento equivalente a cerca de 45% do PIB e responsáveis por mais de um milhão de empregos diretos. Representa no Brasil a rede do World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), que conta com quase 60 conselhos nacionais e regionais em 36 países, atuando em 22 setores industriais, além de contar com 200 grupos empresariais que atuam em todos os continentes.


CONTEÚDO ALTERNATIVO CASO O VISITANTE NÃO TENHA O PLUGIN DE FLASH EM SEU COMPUTADOR (ESTE CONTEÚDO PODE APARECER TAMBÉM ENVOLVIDO POR UMA "DIV")


About Mathias Jaimes

Mathias Ariel Jaimes é CEO da TV Servidor / Axé Notícias. Formado em publicidade. Estou artes plásticas na Universidade Federal da Bahia. MBA em marketing e publicidade estratégica na Uninassau

Check Also

Festival da Primavera terá apresentação de kart neste domingo (22)

Quem gosta de adrenalina e diversão vai poder conferir uma exibição de kart neste domingo ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.