Principal / Política / Familiares, amigos, políticos e autoridades se despedem de Waldir Pires em Missa no Mosteiro de São Bento

Familiares, amigos, políticos e autoridades se despedem de Waldir Pires em Missa no Mosteiro de São Bento

A missa de corpo presente do ex-governador da Bahia, Waldir Pires, aconteceu na tarde de sábado (23), no Mosteiro de São Bento. O ato religioso foi celebrado pelo Abade.

Autoridades e politicos como o governador da Bahia, Rui Costa, a  senadora Lidice da Mata, o ex-governador do Estado, Jaques Wagner, ex-prefeito de São Paulo, Fernando Hadad, além de deputados, prefeitos, vereadores e lideranças acompanharam a celebração.

Bem abalados, o ex governador Nilo Coelho e o ex senador Ruy Bacelar , companheiros de chapa de Waldir na histórica campanha de 1986 – primeira eleição direta após a ditadura militar onde todos foram vitoriosos estiveram também presentes para se despedirem de Pires.

Morte

O ex-governador da Bahia, Waldir Pires, morreu aos 91 anos, na manhã de ontem (22), em Salvador. Ex-ministro da Defesa do governo Lula (2006/2007), Pires estava internado no Hospital da Bahia desde a noite desta quinta-feira (21), com um quadro de pneumonia.

Segundo a assessoria do hospital, Pires teve uma parada cardiorrespiratória por volta das 10 horas. A equipe médica tentou reanimá-lo, mas o político baiano não respondeu aos esforços e faleceu em seguida.

Vida política

Nascido em Acajutiba (BA), em 21 de outubro de 1926, Pires formou-se em Direito. Ingressou na política após militar no movimento estudantil, com o qual atuou nas campanhas em defesa da Petrobras.

Foi secretário de governo da gestão de Luís Régis Pacheco Pereira (1951-1955), deputado estadual e federal. Após a renúncia do ex-presidente da República Jânio Quadros, em 25 de agosto de 1961, apoiou a posse de João Goulart, vice-presidente constitucional, cujo nome era vetado pelos ministros militares. Após o golpe civil-militar de 1964, teve seus direitos políticos suspensos e se exilou primeiro no Uruguai, depois, na França, onde se tornou professor da Faculdade de Direito da Universidade de Dijon e do Instituto de Altos Estudos da América Latina da Universidade de Paris, em 1968.

Após retornar ao Brasil, em 1970, retomou as atividades políticas. Em 1985, assumiu o Ministério da Previdência e Assistência Social durante o governo José Sarney. Em 1987, foi eleito governador da Bahia, cargo que ocupou até retornar à Câmara dos Deputados, em 1990, pela segunda vez. Em 2003, foi nomeado por Lula ministro-chefe da Corregedoria-Geral da União (CGU), posto que deixou em março de 2006, para assumir o Ministério da Defesa. À frente da pasta, enfretou a crise do setor aéreo, uma das mais graves do governo Lula.

Informações reproduzidas da Tribuna da Bahia On Line

Sobre Rafael Santana

Rafael Bonfim Santana é jornalista com experiência em diversos sites e jornais da Bahia com foco em pautas políticas regionais

Leia também!

“A melhor forma de fazer política é com gestão, entregas e resultados”, afirma Bruno Reis

O candidato a prefeito da coligação ‘Salvador Não Pode Parar’, Bruno Reis (Democratas), afirmou que ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *