Principal / Municípios / Guarda Civil Municipal resgata seis animais silvestres em Salvador

Guarda Civil Municipal resgata seis animais silvestres em Salvador

Crédito: Divulgação/Secom/PMS

A Guarda Civil Municipal de Salvador (GCM), através do Grupo Especial de Proteção Ambiental (GEPA), realizou o resgate de duas serpentes esta semana, em dois pontos diferentes da cidade. Primeiro foi uma jiboia em frente a um supermercado localizado na Rótula do Abacaxi, e em seguida uma sucuri, no bairro da Boca do Rio. Nos dois casos, os populares entraram em contato com a Central de Operações da GCM, que acionou o GEPA para efetuar os referidos resgates em tempo hábil.

Conforme o supervisor do grupo, Robson Pires, nesta época é muito comum o aparecimento destes animais, pois o clima mais quente estimula as serpentes a procurarem alimentos e locais mais propícios para habitar. “A jiboia é o animal que mais resgatamos atualmente, porque se adapta muito bem na zona urbana. Elas se alimentam principalmente de roedores, que existem em grande quantidade nos centros urbanos”, explica.

Crédito: Divulgação/Secom/PMS

Ele completa que, apesar do pavor que as pessoas sentem de serpentes como jiboia e sucuri, elas atuam apenas na defesa, ao contrário das cobras peçonhentas. “Elas são animais grandes e podem atingir até quatro metros. No tentanto, ela não possui veneno e a mordida causa apenas pequenas lesões”, informa.

Também esta semana, o GEPA resgatou um tatu, na região de Cajazeiras; um gavião, na Liberdade; um mico ferido, no Cabula; e mais uma jiboia, desta vez no bairro de Jardim Santo Inácio. Todos os animais foram encaminhados para Ufba, sendo que os mamíferos para o Ambulatório de Animais Silvestres e Exóticos, e as serpentes para o Núcleo Regional de Ofiologia e Animais Peçonhentos da Bahia (NOAP), que cuidam de serpentes em geral.

Crédito: Divulgação/Secom/PMS

O GEPA aconselha que, caso o cidadão encontre qualquer serpente, acione imediatamente o grupamento através do telefone (71) 3202-5312, para que uma equipe especializada possa recolher o animal com segurança e o envie para avaliação. Após o período de quarentena, é realizada a soltura do animal em uma área adequada e protegida.

Fonte: Secom/PMS

Sobre Rafael Santana

Rafael Bonfim Santana é jornalista com experiência em diversos sites e jornais da Bahia com foco em pautas políticas regionais

Leia também!

Polícia baiana identifica líder de organização criminosa em Candeias

Uma ação conjunta das polícias Civil e Militar localizou, na noite de segunda-feira (17), o ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *