Home / Municípios / Mutirão contra aedes aegypti coleta 110 toneladas de lixo e entulho na Cidade Baixa

Mutirão contra aedes aegypti coleta 110 toneladas de lixo e entulho na Cidade Baixa

Crédito: Bruno Concha/Secom/PMS

Profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e da Empresa de Limpeza Urbana do Salvador (Limpurb) participaram na quarta-feira (8) do mutirão de limpeza em combate aos mosquitos transmissores de doenças como a dengue, zika vírus e chikungunya, no Alto do Bonfim. Juntamente com as equipes da Limpurb, agentes de endemias e profissionais do Setor de Mobilização e Educação da SMS visitaram as ruas Beira Mar, Santa Fé, Porto Bonfim e a Rua da Ladeira do Bonfim.

Crédito: Bruno Concha/Secom/PMS

Só hoje, cerca de 110 toneladas de lixo e entulho foram coletadas. No local, foram realizadas identificação e eliminação de criadouros de inseto, borrifação de inseticida, inspeção de embarcações, panfletagem e orientação. As ruas passaram também por serviços de varrição, roçagem, gancheamento e retirada de entulho e materiais inservíveis. A ação segue nesta quinta-feira (9), e o ponto de encontro é a Marina, na Rua Artur Matos, Bonfim, às 8h. O balanço dessa edição do mutirão deve ser divulgado na sexta-feira (10).

Durante as estações quentes do ano (Primavera e Verão), a Prefeitura continuará fazendo as ações em combate ao aedes aegypti. O próximo distrito sanitário a receber os agentes será o Subúrbio Ferroviário. Na última semana de outubro, quando os mutirões contra o mosquito foram retomados nos bairros de Canabrava e Castelo branco, 67 profissionais da Prefeitura visitaram cerca de 130 imóveis e recolheram mais de 18 toneladas de entulho e material inservível. Na ocasião, aproximadamente 570 depósitos do inseto transmissor foram eliminados.

Crédito: Bruno Concha/Secom/PMS

Dados – A capital baiana apresenta esse ano uma taxa de 3,1 de Infestação Predial (LIRA). De janeiro a setembro de 2017, foi registrada queda acentuada no número de casos confirmados de dengue, zika vírus e chikungunya em Salvador. Os dados apontam para a eficácia das estratégias aplicadas pelo município no controle da infestação pelo mosquito Aedes aegypti – que é também responsável pela transmissão do vírus da febre amarela, embora até agora só haja registros em micos e macacos – nos 12 distritos sanitários da capital baiana.

Crédito: Bruno Concha/Secom/PMS

Entre janeiro e setembro deste ano, 515 casos de dengue foram confirmados. O número é 54% menor que o mesmo período de 2016, quando 944 pessoas tiveram diagnóstico positivo. Em relação à chikungunya, o registro teve uma redução de 57%, com 91 infectados até setembro contra 158 no ano anterior. A zika, por sua vez, passou de 77 para 36 ocorrências, que contabiliza uma diminuição de 47%.

Fonte: Secom/PMS

 


CONTEÚDO ALTERNATIVO CASO O VISITANTE NÃO TENHA O PLUGIN DE FLASH EM SEU COMPUTADOR (ESTE CONTEÚDO PODE APARECER TAMBÉM ENVOLVIDO POR UMA "DIV")


About Rafael Santana

Rafael Bonfim Santana é jornalista com experiência em diversos sites e jornais da Bahia com foco em pautas políticas regionais

Check Also

TV. Dra Raissa Soares recebe medicamento para tratamento contra vírus chinês em Porto Seguro

Aos gritos de “Viva Bolsonaro”, profissionais da saúde da Prefeitura de Porto Seguro receberam os ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.