Home / Destaques / Novo PDDU prepara Camaçari para a retomada do crescimento com sustentabilidade

Novo PDDU prepara Camaçari para a retomada do crescimento com sustentabilidade

SECOM Prefeitura de Camaçari

Com o objetivo de qualificar os espaços públicos e estruturar novas frentes de urbanização para abrigar um potencial mercado imobiliário capaz de gerar emprego e renda para a melhoria da qualidade de vida da população, bem como, fomentar um ambiente de segurança jurídica e técnica capaz de alavancar as transformações desejadas para todo o território municipal, a Prefeitura de Camaçari, através da Comissão Executiva do PDDU, começa o processo de elaboração do novo Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) do município, a ser enviado para a Câmara de Vereadores em 2020.

Para tanto, estão sendo preparadas as audiências públicas que marcarão o lançamento do novo PDDU já a partir do próximo mês. A Comissão Executiva do Plano é presidida pela urbanista Juliana Paes, assessora especial da Secretaria de Governo de Camaçari e que trabalhou no projeto do atual PDDU de Salvador e da Lei de Ordenamento do Uso e Ocupação do Solo – LOUOS, aprovados em 2016.

Conforme estudo da urbanista, o intenso crescimento populacional de Camaçari, causado principalmente pela instalação do Polo Petroquímico na década de 1970 e do Automotivo, nos anos 1990, seguido da abertura da Linha Verde, resultaram em inúmeros problemas de ordem estrutural, aumento da demanda de serviços públicos, além de ocupações desordenadas e deterioração dos recursos naturais. Os problemas foram tornados mais graves em função de planejamento descontinuado diante das aceleradas mudanças e cenários tendenciais. Ela lembrou que o chamado “apelo de oportunidades” de quem sedia o Polo Industrial do Estado fez com que a população de Camaçari fosse triplicada num período de dez anos. Entre as décadas de 1970 e 1980 o número de moradores passou de 34 mil para 91 mil e continua crescendo a altas taxas chegando a cerca de 300 mil habitantes nos dias atuais.

As ações pontuais para definir um traçado básico ao desenvolvimento espacial ficaram a reboque dos impactos migratórios e tiveram um resultado ineficiente. Em 2001, o Estatuto da Cidade (Lei federal nº 10.257/2001) estabeleceu a obrigatoriedade de elaboração do PDDU em cidades com mais de 20 mil habitantes. Camaçari aprovou o seu primeiro Plano Diretor em 2008 com base nessa lei e somente agora com o novo PDDU será revisado para atender à realidade do município e com um amplo processo de planejamento participativo envolvendo inclusive os mais diversos segmentos da sociedade local.

Apesar da riqueza que gera, Camaçari é uma cidade de população pobre, com alta taxa de desocupação, baixa oportunidade de emprego para uma força de trabalho pouco qualificada e por causa disso, cerca de 30% da população é dependente do bolsa-família. O município possui três distritos: a Sede, Abrantes e Monte Gordo. Registra cerca de 29% do território inserido em zona urbana, 23% em zona industrial e 48% em zona rural. Possui três Áreas de Proteção Ambiental (APAS Estaduais) criadas há quase 20 anos que ocupam 21% do território do município e se encontram sem qualquer revisão. Do total das Áreas de Proteção Ambiental, 40% possuem o status de “proteção rigorosa” que não permite ocupação e parcelamento do solo, embora não signifique que isso esteja sendo respeitado.

Juliana Paes assinalou que com a ocupação desordenada, a urbanização de Camaçari se tornou fragmentada, precária e irregular. “Ou seja, feita à revelia dos marcos regulatórios, do planejamento urbano, ambiental e de uma estratégia de estruturação do território a longo prazo para a promoção do desenvolvimento ordenado e sustentável”. Ela apontou a necessidade de tornar Camaçari um município “com viabilidade funcional, enquanto urbe, organizando-a, integrando-a, modernizando-a, reduzindo impactos e distorções, ampliando potenciais e garantindo um desenvolvimento sustentável”. O novo PDDU será o instrumento para reconduzir os rumos do crescimento de Camaçari alinhados às expectativas e a realidade que se impõe. Por essa razão é importante a participação e colaboração do povo nas audiências públicas e demais eventos do Plano.


CONTEÚDO ALTERNATIVO CASO O VISITANTE NÃO TENHA O PLUGIN DE FLASH EM SEU COMPUTADOR (ESTE CONTEÚDO PODE APARECER TAMBÉM ENVOLVIDO POR UMA "DIV")


About Mathias Jaimes

Mathias Ariel Jaimes é CEO da TV Servidor / Axé Notícias. Formado em publicidade. Estou artes plásticas na Universidade Federal da Bahia. MBA em marketing e publicidade estratégica na Uninassau

Check Also

TV. Forró da AACB. Flor de Minho anima festa dos advogados

Confira, nas imagens abaixo, um breve resumo do Forró da AACB –Associação dos Advogados Criminalistas ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.