Principal / Breaking News / Prefeitura de Salvador lança projetos para estimular afroempreendedorismo

Prefeitura de Salvador lança projetos para estimular afroempreendedorismo

Uma das cidades mais negras do Brasil, Salvador contará com duas novas iniciativas para estimular o afroempreendedorismo junto à cadeia produtiva econômica e turística. Nesta quarta-feira (21), a Prefeitura lançou os projetos AfroBiz e AfroEstima, que integram dois dos quatro eixos do Plano para o Desenvolvimento do Turismo Étnico-Afro. Os detalhes foram divulgados pelo prefeito Bruno Reis em coletiva à imprensa no Teatro Gregório de Mattos, no Centro, ao lado dos titulares das secretarias de Cultura e Turismo (Secult), Fábio Mota; da Reparação (Semur), Ivete Sacramento; e de representantes de entidades de matriz africana.  



O AfroBiz é uma plataforma on-line e interativa para divulgação de produtos e serviços de afroempreendedores do turismo da cidade. O projeto abrange, ainda, a realização de rodadas de negócios que visam conectar todo o conteúdo cadastrado a compradores nacionais e internacionais. Com isso, a ideia é aumentar a visibilidade dos negócios do segmento afro, facilitando vínculo tanto aos consumidores quanto com possíveis fornecedores e investidores, além de dar mais oportunidades de vendas para os envolvidos. A estimativa é cadastrar pelo menos 2,5 mil atores envolvidos com o turismo étnico-afro.

Já o projeto AfroEstima é uma iniciativa educacional gratuita que será desenvolvida de forma híbrida (online e presencial), através da oferta de cursos e de mentoria, com conteúdo digital e físico, organizado por trilhas de aprendizagem – isto é, capacitações agrupadas em módulos estratégicos, de conteúdos variados e que dialogam entre si. Envolve, por exemplo, a realização de cursos de Marketing Digital, Gestão de Negócios e Liderança com foco na juventude negra, passando por módulos chamados de sociais, como “História, cultura afro-brasileira e da diáspora” e “Desenvolvimento Pessoal e Social”, dentre outros.

“Salvador, além de suas belezas naturais, do seu rico patrimônio histórico, da força sincretismo religioso, da culinária e de seu povo, tem um plano para valorizar toda cultura e tradição dos nossos irmãos afrodescendentes. O objetivo é usar todo o ativo que temos para que isso seja mais um importante diferencial na atração de turistas à cidade, sendo o foco principal a geração de emprego e melhora de renda”, destacou Bruno Reis.

O chefe do Executivo municipal assegurou que a Prefeitura seguirá investindo recursos para dar apoio e conectar toda a cadeia do turismo, potencializando e qualificando a mão de obra protagonizada pela população negra. Ele acrescentou que a capital baiana tem no setor de serviços sua principal fonte de geração de emprego e renda – a atividade é responsável por 60% do PIB da cidade.

“Nossos diferenciais estão marcados nos quatro cantos da cidade. Vimos a influência afro na música, na culinária, na arte, no nosso patrimônio histórico e no nosso povo. Essa estratégia também é uma das ações da Prefeitura para retomada econômica e do tempo perdido em função da pandemia”, disse o prefeito.

Fortalecimento – De fato, o AfroBiz e o AfroEstima irão fortalecer o poder de articulação dos afroempreendedores da capital baiana, impulsionando o surgimento de novas oportunidades e negócios. Os projetos darão todo o suporte necessário a este público, elevando-os a um patamar de operação e negociação menos informal do que a maioria se encontra neste momento.

Ambas as iniciativas foram construídas para o Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo em Salvador (Prodetur), através de financiamento do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), e executados pelo consórcio composto pelas empresas Getin Aceleradora, Topos Tecnologia, Instituto Iris e o Euvaldo Lodi (IEL/BA). O investimento total para a execução do Plano para o Desenvolvimento do Turismo Étnico-Afro será de R$15 milhões.

“Salvador tem 82% da população negra e é a cidade mais afro do Brasil. O turismo criativo será valorizado com essas ações. A ideia é profissionalizar e qualificar o povo afrodescendente para que a cidade entre no nicho do turismo étnico, que agora estamos abrindo para o mundo inteiro”, ressaltou o secretário Fábio Mota.

Ele anunciou que os dois restantes eixos do plano de Turismo Étnico-Afro (que envolverão ações de fortalecimento do ofício das baianas de acarajé e relações públicas e assessoria) deverão ser lançados dentro de 60 dias. “O plano foi constituído em 2019 através de discussões e neste momento estamos tirando ele do papel. Foram 658 pessoas envolvidas no processo, entre baianas, capoeiristas, músicos representantes de blocos afros e de terreiros das religiões de matriz africana”, explicou Mota.

A titular da Semur, Ivete Sacramento, convocou toda a comunidade negra e agentes de turismo e desenvolvimento cultural para se engajarem nos projetos AfroBiz e AfroEstima. “Estamos dando as ferramentas e agora precisamos que o povo e a juventude negra entendam esse esforço que fizemos em conjunto para, no futuro bem próximo, termos pessoas qualificadas, empreendendo com sustentabilidade e com condições para concorrer de igual para igual no turismo internacional. Salvador tem potencial, mas só isso não basta. É preciso que esse potencial esteja aliado a conhecimento e ação”, frisou.

Betto Jr SECOM

Inscrições – As inscrições para quem deseja participar dos projetos podem ser feitas nos sites www.afrobizsalvador.com.br e www.afroestimasalvador.com.br , de modo gratuito. No caso do Afrobiz, os inscritos serão mapeados e cadastrados conforme segmento de atuação.

São aptos a participar afroempreendedores residentes de Salvador que trabalham como baianas, turbanteiras, trançadeiras, capoeiristas, artistas, designers e artesãos, griôs, em blocos afro e afoxés, terreiros, feirantes e ambulantes, produtores culturais, guias de turismo e em meios de hospedagem e agências, dentre todos os outros atores que fortalecem o Turismo Étnico-Afro da capital. Já as localidades de atuação das capacitações que serão ofertadas por meio do AfroEstima contemplarão regiões do Centro Antigo, Rio Vermelho, Itapuã/Orla Norte e ilhas de Maré, Bom Jesus dos Passos e Frades.

Ordem de serviço – Durante o lançamento dos dois primeiros eixos do Plano Étnico-Afro, o prefeito Bruno Reis assinou ordem de serviço para implementação do Centro de Interpretação do Patrimônio e Complexo Casa da História de Salvador e Arquivo Público Municipal. A ação inclui elaboração da proposta conceitual, programas e projetos executivos, além de todas aquisições, instalações e acompanhamento da implantação do novo equipamento cultural, que funcionará no Comércio. O investimento é de quase R$18 milhões, frutos de financiamento do BID, através do Prodetur.

Composto por dois imóveis interligados, sendo um casarão que passa por restauração e outro prédio que está em construção, o complexo abrigará acervos históricos para difusão da memória e conhecimento da primeira capital do Brasil. “A previsão é início do ano que vem entregarmos esse equipamento, que será tão importante para fortalecer ainda mais o turismo na cidade”, afirmou Bruno Reis.

 

 

 



Sobre Mathias Jaimes

Mathias Ariel Jaimes ( DRT 5674 Ba ) , é CEO do site #TVServidor e sócio-proprietário da agência de comunicação interativa #TVS1 . Formado em publicidade na Argentina. Estudou artes plásticas na Universidade Federal da Bahia. MBA em marketing e comunicação estratégica na Uninassau. Aluno do professor Olavo de Carvalho, Curso Online de Filosofia, desde 2015.

Leia também!

Aspirante a oficial se torna tetra campeão de Jiu-Jitsu Master South

Com a garra e dedicação, o aspirante a oficial Antônio Marcos Borges, da 22ª Companhia ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *