Home / Destaques / PSD indica nome para à presidência da Assembleia Legislativa e disputa fica acirrada dentro da base aliada de Rui Costa

PSD indica nome para à presidência da Assembleia Legislativa e disputa fica acirrada dentro da base aliada de Rui Costa

cms-image-000440036

As eleições para a presidência da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) que acontecem em fevereiro de 2017 começam a se definir. Desta vez, o PSD chegar a uma decisão durante reunião com o senador Otto Alencar em indicar o nome do deputado estadual Ângelo Coronel para a disputa.

Desde a semana passada, a legenda já havia sinalizado que iria disputar o cargo, mas não havia decidido entre Coronel e Adolfo Menezes.

Nos bastidores da disputa há conversa de que a candidatura do PSD pode gerar uma richa na base aliada do governo Rui Costa. “A nossa candidatura não é de oposição é de unificação, de oxigenação da Casa”, afirma Coronel. Na disputa, Coronel deve pleitear com o deputado estadual Luiz Augusto (PP), que já colocou seu nome como pré-candidato, e com o atual presidente da Casa, o deputado Marcelo Nilo. Outros nomes devem entrar na disputa foram Pastor Isidorio (PDT) e Marcell Moraes (PV).

Mesmo com a possibilidade remota de reeleição, o atual presidente, que até então estava temeroso, tem confirmado que será candidato ao sexto mandato. Na semana passada, Nilo contou que seria o candidato natural caso não surgisse um nome de peso para o pleito.

“Se aparecer um candidato natural tudo bem, se não aparecer, aí em dezembro eu decido”, disse Nilo, que completou: “não considerava mais a possibilidade de permanecer à frente do cargo, porém o homem público não se pertence. Aceitei a conclamação dos meus pares para buscar essa nova investidura não como um fardo, mas com a responsabilidade de um parlamentar consciente da gravidade do momento político, econômico e social que vivemos – em que a experiência, seriedade e transparência são atributos importantes para que a Bahia se distancie do quadro caótico de outros estados e persista na busca do desenvolvimento com justiça social”.

Já a bancada petista afirma que vai pela unidade em caso de articulação da bancada de oposição com o prefeito ACM Neto, para ter um candidato próprio. conforme disse o deputado Rosemberg Pinto (PT).

No lado da oposição, o nome ainda não foi definido. O líder da bancada de oposição, deputado Sandro Regis (DEM), afirmou que já iniciou as reuniões e que o grupo está aberto para apoiar outros candidatos ou lançar um nome ligado ao prefeito ACM Neto. “Já começamos as reuniões hoje, mas a oposição pediu majoritariamente um tempo maior para definir essa questão. Estamos atentos às movimentações e estamos abertos ao diálogo, podendo tanto lançar um nome, quanto apoiar algum candidato”, afirma Régis.

Já o presidente do DEM, Pablo Barozzo, criticou a postura de Marcelo Nilo em tentar um novo mandato e segue a linha de Regis, ao afirmar que a oposição pode ter um nome próprio, mesmo não tendo o número suficiente de votos para conquistar o objetivo. “Não sei dizer por que ele está indo para o sexto mandato. Ele não tem muito a mudar, a oferecer. Há um sentimento de mudança, é nítido”, disse Barrozo.

Foto: ASCOM/Alba


CONTEÚDO ALTERNATIVO CASO O VISITANTE NÃO TENHA O PLUGIN DE FLASH EM SEU COMPUTADOR (ESTE CONTEÚDO PODE APARECER TAMBÉM ENVOLVIDO POR UMA "DIV")


About Rafael Santana

Rafael Bonfim Santana é jornalista com experiência em diversos sites e jornais da Bahia com foco em pautas políticas regionais

Check Also

TV. Adiamento e parcelamento de IPTU, TFF e Taxa de Publicidade: Bruno Reis recebe empresários

Na tarde desta quarta-feira (8), o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, recebeu representantes da gestão ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.