Home / Destaques / Sindicatos ligados ao PT / PCdoB / PSOL “obrigam” trabalhador a não trabalhar

Sindicatos ligados ao PT / PCdoB / PSOL “obrigam” trabalhador a não trabalhar

Crédito: Mila Cordeiro l Ag. A TARDE

Mais um dia de confusão na cabeça do trabalhador. Qual o motivo da greve é o que todo trabalhador honesto se pergunta. Ninguém sabe. O certo é que em épocas de não obrigatoriedade de imposto sindicais, centrais sindicais, movimentos e sindicatos ligados ao PT e PCdoB decidiram medir força com o Governo Federal “obrigando” ao trabalhador a… não trabalhar.

A tal da “greve do trabalhador” começou bem cedo na capital da Bahia com um grupo de não mais 20 sindicalistas ligados ao PT e PCdoB impedindo a passagem de ônibus de saírem da Estação da Lapa. Por conta dessa atitude arbitrária e ditatorial, passageiros precisaram descer do coletivo e seguir andando.

A manifestação afeta o fluxo no Vale dos Barris, Dique do Tororó sentido Lapa e em vias do bairro de Nazaré. Para reduzir o impacto do protesto, agentes da Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) desviam o tráfego nas proximidades da Arena Fonte Nova e na avenida Vasco da Gama, no acesso à Praça João Mangabeira (Rótula dos Barris). De acordo com o órgão, os motoristas têm como rotas alternativas seguir da Vasco da Gama para a Av. Anita Garibaldi, Vale do Canela, Mário Leal Ferreira (Bonocô) e Comércio.

Policiais militares acompanham a mobilização. (Com informações do A Tarde)


CONTEÚDO ALTERNATIVO CASO O VISITANTE NÃO TENHA O PLUGIN DE FLASH EM SEU COMPUTADOR (ESTE CONTEÚDO PODE APARECER TAMBÉM ENVOLVIDO POR UMA "DIV")


About Mathias Jaimes

Mathias Ariel Jaimes é CEO da TV Servidor / Axé Notícias. Formado em publicidade. Estou artes plásticas na Universidade Federal da Bahia. MBA em marketing e publicidade estratégica na Uninassau

Check Also

Comissão aprova relatório do deputado Benito Gama com mecanismos de controle no manejo da fauna silvestre

A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados aprovou hoje (11), por unanimidade, ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.